Vegetariana em construção

Em janeiro de 2013 eliminei a carne da minha alimentação, percebi que iriam surgir mais mudanças. Esta decisão seria parte de um processo construtivo. Questionei-me bastante. Vivemos em sociedade e seguimos hábitos que nos são impostos ao longo do nosso crescimento, muitas vezes sem questionarmos. Quando nos questionamos, na maior parte das vezes, optamos por aceitar a realidade em que vivemos porque mudar,“dá trabalho”. 

Este texto é para quem me pergunta, porquê? Para quem me pergunta, como?

Não foi um “ar que me deu”. Sempre senti muito interesse pelo estilo alimentar e admiração por quem seguia uma alimentação vegetariana. Imaginava eu, ser um processo difícil e limitado. Até que, seguindo o exemplo de amigos, pesquisas e vontade própria dei o primeiro passo de retirar a carne. Foi muito fácil.
Durante 2013 e 2014, comecei também a praticar desporto com mais regularidade e percebi que vivia bem sem carne.
Com o tempo fui percebendo que as minhas convicções ganhavam mais força e já optava por pratos ovolactovegetarianos por isso, em fevereiro de 2015 eliminei o peixe.
Durante este processo fiz vários exames, por iniciativa própria, para garantir que estava tudo bem e que não existiam carências.
Mais confiante, convicta e feliz com a opção eliminei todos os derivados em maio deste ano, optando por uma alimentação 100% vegetariana. A melhor resposta que tenho para o porquê? É simples, sou mais feliz assim.

Temos a capacidade de nos adaptarmos. Com a informação e oferta que temos hoje disponível é possível mudar. A minha família felizmente foi-se adaptando também, respeitam a minha opção e têm isso em conta quando partilhamos a mesma refeição. Sou uma sortuda!:)
Para comer fora, o segredo é a marmita. Há sempre alternativas é certo, mas também falta de informação. Referi acima que há informação, mas quem está realmente interessado. Na maior parte dos locais de restauração há lacunas que considero graves. Graves por irem contra às ideologias e intolerâncias alimentares dos clientes.
Felizmente, a minha opção é por mim, pela minha saúde e pelos meus princípios éticos. Não tenho nenhuma intolerância que não me permita comer o que me apetecer. Percebi é que estou melhor assim e é esta a minha convicção.

Já fui enganada e já errei. Faz parte da “construção”, aprendizagem e adaptação. A maior parte das refeições prontas “para vegetarianos” são para ovolactovegetarianos. Têm quase sempre derivados, ovos, leite, manteiga…
Ser vegetariano é optar por uma alimentação isenta de produtos de origem animal, à semelhança da alimentação vegana. A diferença é que o veganismo elimina todos as formas de exploração animal, desde a alimentação, às roupas e tudo o que é testado através de animais.Que muitas vezes desconhecemos.
Considero que no meu dia a dia, apesar de ter uma alimentação vegetariana/vegan ainda não me considero vegana. #govegan é o caminho.

Sim, eliminar os ovos e o leite, é eliminar gelados, gomas, bolos, grande variedade de pães.
Como é que já fui enganada? O arroz foi cozinhado com manteiga, um molho levava mel, o pão levava leite…
Porque é que já errei? Porque as tostinhas de entrada têm leite em pó, os gressinis têm banha (sim!), há muesli e pão ralado que têm soro de leite e leite em pó na sua composição.
Não são todas os produtos de todas as marcas obviamente, mas actualmente se não tiver embalagem para confirmar a solução é não comer.

Então o que é que eu como? 🙂 
piramide-alimentar-vegan

Sigo uma alimentação à base de legumes, fruta, cereais, sementes, frutos secos e bebidas vegetais.
Curiosamente, com esta opção passei a ter mais interesse em jantar fora em restaurantes da especialidade. Passei a dar mais valor e a saborear a comida.  
Em breve vou partilhar no blogue alguns desses lugares.

É importante perceber que não se trata de uma moda, mas da consciência que é possível mudar. Consciência do impacto ambiental e da violência que está por trás da produção animal.
Tomei esta opção porque como referi, sinto-me melhor assim. Respeito a opção de quem me rodeia e apenas sugiro que façam ou experimentem algumas refeições vegetarianas. Vão ficar surpreendidos! 🙂

Say Something