To Whey or not to Whey!

“A Whey (soro de leite), tal como a caseína, é uma das duas proteínas presentes no leite tendo um elevado valor biológico. Embora seja um dos suplementos mais vendidos e utilizados em todo o mundo, será que faz magia?”


Vamos falar Whey e do seu consumo como fonte de proteína para atletas de qualquer modalidade, um tema que gera sempre grande discussão. É certo que é um macronutriente precioso e que não podemos viver sem visto que contém aminoácidos “essenciais” ou seja, nutrientes que o corpo necessita para viver mas que não consegue produzir por si só, necessitando de uma fonte externa, a alimentação.

my pt

No meu caso, enquanto ovo lacto vegetariana, como derivados. Assim, para além de ir buscar proteína aos feijões, cereais integrais, entre outros, encontro nos ovos e no queijo as minhas maiores fontes de proteína. É com a Whey que consigo um extra, principalmente quando estou com o plano de treinos mais exigente onde as minhas necessidades energéticas diárias aumentam. Ajuda na recuperação muscular e sacia-me no pós-treino de forma eficaz até à próxima refeição.

Existem várias opções vegan. No entanto, até ao momento, tive alguma resistência ao sabor. Em breve, vou provar uma opção nova, proteína isolada de soja da My Protein, e espero que o feedback seja bom.
Para já sou fã da Whey Protein Isoldado, vegetariano e sem glutén. Já experimetei vários sabores Impact Whey Protein de mocha, framboesa , banana..até ao momento gostei de todos e gosto de usar “sem sabor” em panquecas.Também gosto da gama endurance. Esta é uma gama de energia e resistência e indicada para as necessidades do nosso organismo em treinos e provas longas.
Darei notícias sobre a whey veggan! 😉

Entretanto como muita gente associa o consumo de Whey a diversos mitos que não existem: que faz mal, que faz crescer exageradamente, que serve para substituir refeições… entre outras teorias. O Nuno Martins fala-nos da Whey e dos seus benefícios, desmistificando algumas teorias pouco fundamentadas.

logoPor Nuno Martins Healthy Coach

“A Whey (soro de leite), tal como a caseína, é uma das duas proteínas presentes no leite tendo um elevado valor biológico. Embora seja um dos suplementos mais vendidos e utilizados em todo o mundo, será que faz magia? Respondendo de forma simples: não.
Todos nós temos necessidades energéticas diárias no que toca a calorias e macronutrientes: proteína, gordura e hidratos de carbono. Assim, caso a pessoa consiga cumprir estas necessidades diárias através da sua alimentação regular, o consumo deste suplemento provavelmente não trará qualquer benefício adicional. Na verdade, os benefícios enaltecidos pela indústria do fitness resultam de comparações injustas em que o consumo total de proteína difere entre grupos sendo este o factor chave para os resultados observados. Quando este consumo é equiparado (assim como as calorias totais), os benefícios acabam por se extinguir.

Uma dúvida comum é o tipo de Whey a adquirir. Existem mil e um tipos, de várias fontes, podendo-se ajustar aos diferentes estilos alimentares de cada um (vegan por exemplo). No entanto, a dúvida que mais surge relaciona-se com a escolha entre concentrada, isolada ou hidrolisada. A minha sugestão é adquirir uma básica concentrada a não ser que existam problemas como intolerância à lactose ou ao glutén. Nesse caso, utilizar uma fonte isolada ou hidrolisada parece ser a melhor opção devendo existir sempre o cuidado de interpretar com atenção o rótulo nutricional do produto.

Um dos mitos que infelizmente ainda hoje perdura é o facto de que um consumo elevado de proteína possa originar problemas renais. Esta ideia não passa de um mito. Em pessoas saudáveis, sem problemas renais pré-existentes, um consumo proteico mais elevado do que a dose diária recomendadas não traz qualquer tipo de malefício. No entanto, é importante frisar que em pessoas com problemas renais, uma redução do consumo proteico deve ser uma das medidas imediatamente tomadas.

Concluindo, embora a Whey não faça magia no que toca à perda de peso ou ganho de massa muscular, esta pode ser uma excelente forma prática de atingir as necessidades proteicas diárias sem causar qualquer tipo de dano no nosso organismo. No entanto, é importante ter cuidado na compra destes suplementos, escolhendo uma marca de confiança de forma a obtermos um produto com a devida qualidade.”

Referências:
[1] Antonio, J., Jose, A., Anya, E., Tobin, S., Leonel, V., & Corey, P. (2016). The effects of a high protein diet on indices of health and body composition – a crossover trial in resistance-trained men. Journal of the International Society of Sports Nutrition, 13(1).
[2] Fouque, D., & Laville, M. (2009). Low protein diets for chronic kidney disease in non diabetic adults. Cochrane Database of Systematic Reviews, (3).

3 Comments

Say Something